Artigos

Aquilo que não se vê sobre a “legalização das drogas”

por Fernando Fernandes*

A ideia de fim do tráfico via legalização é muito bonita no papel. É como uma “bala de prata” que magicamente resolveria o problema, mas nem de longe isso é verdade. Não é atoa que países que legalizaram alguns entorpecentes estão recuando, eis os motivos:

1) A tese da liberação exige que todas as drogas (incluindo aqui o Crack) sejam legalizadas e para qualquer público, inclusive crianças;

2) A legalização imporá um impacto tremendo ao, já falido, SUS;

3) Seja para:
a) Criar centro de abastecimento de Drogas;
b) Ou, ampliar os recursos destinados ao SUS;
O aumento de tributos tornará a droga contrabandeada do traficante mais competitiva no mercado de drogas, fazendo com que o crime permaneça existindo;

4) Ademais, o traficante já entendeu que ele lucra tanto, ou mais, com o domínio territorial e fornecimento de serviços (água, luz, gás, proteção, transporte, etc) e jamais abrirá mão do controle militar territorial que ele realiza.

Deixa eu te explicar uma coisa, não importa o que seu professor de Direito Penal falou ou o que o especialista da TV tentou enfiar na sua cabeça: o Brasil não tem guerra as drogas!

Guerra pressupõem um esforço e mobilização nacional, algo que nunca tivemos por aqui. Não há inteligência, não ha efetivo patrulhamento de fronteiras nacionais e interestaduais, não há protocolo inter agências, não há integração entre os múltiplos órgãos da federação, não há uma efetiva busca por cooperação internacional, não há efetivo, não há treinamento, modernização e emprego de tecnologia, não condições de realização ações de pronto-emprego/pronta-resposta.

Aqui não se tem o mínimo, nem sequer o direito de legítima defesa para o civil ou de intervenção legal para o combatente. O que temos, e temos aos montes, são esquerdinhas fazendo demagogia intelectualóide, policiais e forças armadas enxugando gelo e os cidadãos morrendo como moscas.

Nada, no Brasil de 60 mil homicídios, é mais urgente que uma Política Nacional de Defesa aplicada a Segurança Pública, um Pacto Nacional entorno da vida e do fim do narco-terrorismo que assola nossas regiões mais pobres. Não há Liberdade enquanto qualquer dos seus cidadãos viver escravo do medo.

*Fernando Fernandes é advogado, mestrando em Filosofia política, formado em Política e Estratégia pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, segundo vice-presidente do Patriota RJ e colunista do Instituto Liberal. 

Mostrar mais

2 thoughts on “Aquilo que não se vê sobre a “legalização das drogas””

  1. Eu quero me filiar e ser um colaborador na campanha eleitoral de Jair Messias Bolsonaro e quem sabe sair candidato a vereador no partido muita saúde, paz, felicidade ao futuro presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro saudações a toda sua mais que honrada família e seu filho Eduardo futuro presidente do Brasil em 2022 fiquem com Deus.

  2. O porque da descriminalização da maconha? Muito simples, a maconha está misturada com crack, por isso houve o aumento da criminalidade.
    Os benefícios da descriminalização: geração de empregos, um controle melhor dos presídios sem falar dos benefícios medicinais que a maconha SEM MISTURAS trás para nós (comprovado cientificamente).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close