Na Mídia

Vereador leva proposta de combate à pedofilia e estupro a Bolsonaro e Malta

SAIU NA MÍDIA - JORNAL IPANEMA - ITÚ/SP

O vereador ituano Reginaldo Carlota (PTB) embarcou para Brasília na terça-feira (17), para se encontrar com o senador Magno Malta (PR-ES) e com o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), tendo um assunto em comum para tratar com ambos: uma política nacional “mais eficaz” no combate a pedófilos e estupradores.

Carlota, que está lançando seu livro autobiográfico “Faca na Caveira”, revela em sua obra que “já sentou porrada em muito estuprador” e “já foi até acusado de jogar um deles no Rio Tietê”, mas nega a acusação de tentativa de homicídio contra o maníaco sexual em questão.

O vereador, eleito com a maior votação da história de Itu (3.168 votos), trabalhou dez anos como repórter policial antes de ser eleito ano passado e revela que nesse período se envolveu pessoalmente na investigação e captura de diversos estupradores e pedófilos, tendo participado, inclusive, da investigação do caso do serial killer Laerte Patrocínio Orpinelli, morto em 2013, que confessou ter estuprado e matado mais de 100 crianças no interior de São Paulo, entre 1970 e 1999. Carlota é autor do livro “O Matador de Crianças”, sobre o maníaco e traçou o perfil psicológico do criminoso para os programas “Instinto Assassino”, do Discovery Channel, e “Investigação Criminal”, do “AXN”.

A escolha do senador e deputado não foi por acaso, de acordo com o vereador. “Bolsonaro e Magno Malta são os políticos brasileiros mais empenhados hoje, na luta contra estupradores e pedófilos e não passam a mão na cabeça de vagabundo, querem penas mais rígidas para esse tipo de criminoso e ao meu ver, são os homens com poder para realizar isso. O senador prendeu até um padre católico que era pedófilo”.

Em um relatório de três páginas, que entregou pessoalmente na quarta-feira (18) para Bolsonaro, na Câmara dos Deputados, e para Magno Malta, no Senado, locais onde foi recebido em Brasília, Carlota propõe, entre outras medidas radicais, a castração química para pedófilos e estupradores (que já tem total apoio de Bolsonaro), diante flagrante delito, pena máxima de 30 anos de prisão para qualquer tipo de abuso sexual, a criação de uma tatuagem eletrônica nos criminosos para ser identificada pela polícia com um leitor especial, estilo código de barras, e a elaboração de um banco de dados público, permitindo que a sociedade saiba quem são esses criminosos, que no entender do vereador, não podem de maneira alguma conviver normalmente com as pessoas comuns.

“Pedófilos e estupradores são predadores sociais e precisam ser tratados como tal, têm de serem abatidos e punidos implacavelmente para que nunca mais voltem a praticar o mesmo crime”.

O vereador ainda declara no documento que entregou ao senador e deputado que “Se Hitler, ao contrário de matar judeus inocentes, tivesse executado, queimado ou no mínimo, castrado todos os estupradores do mundo, durante a Segunda Guerra Mundial, teria meu apoio até hoje”.

Carlota contou que seu projeto foi muito bem recebido por Malta e Bolsonaro e que o nível do debate entre eles sobre o tema, foi elevado, de total complacência, unanimidade e tem tudo para progredir.

“O senador estava presidindo uma audiência pública e me recebeu no próprio plenário e foi conversando comigo durante os trabalhos, cara muito correto e atencioso. Foi muito bom conhecê-lo. Já o Bolsonaro virou amigo, eu o conheci no Rio de Janeiro semanas atrás, durante o lançamento do livro dele, aí ele me passou seu celular e não paramos mais de conversar. Ele é o contrário de tudo que a mídia vendida fala, é muito educado, atencioso com as pessoas, brincalhão e bem humorado. Conversamos mais de 40 minutos no gabinete dele. O cara é uma celebridade, todo mundo que o vê quer tirar uma foto com ele”.

FONTE: JORNAL IPANEMA

Mostrar mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close